Alexandre Parker – Grupo Volvo América Latina

16 de novembro de 2017

Finalmente vemos sinais de retomada. Ainda que tímida, conseguimos confirmar alguns indicadores positivos, razões para acreditar na recuperação da indústria e do país.

As perspecticas para curto prazo vêm menos carregadas de dúvidas. As de médio e longo prazo, porque necessariamente passarão pelas eleições de 2018, trazem alguma carga de incerteza.

Há claros avanços. A inflação segue controlada e abaixo da meta. O juro real vem em trajetória de queda. O PIB vem crescendo no segundo semestre. A taxa de desemprego começa a recuar. A balança comercial apresenta superávit acumulado com crescimento em relação ao ano passado, em função de exportações crescentes em vários setores. E principalmente, os indicadores medidos pela Sondagem Industrial da CNI: a “intenção de investimento” é o maior desde março de 2015 e o “Índice de Confiança do Empresário da Indústria (ICEI) superou a média histórica e é o maior desde abril de 2013.

Sim, são vários os sinais positivos na economia e na indústria, ainda que com diferenças setoriais.

Por outro lado, a dívida bruta do Setor Público mantém trajetória de crescimento. Nesse aspecto, o Governo, tem nas mãos oportunidade única de consolidar a retomada econômica e social brasileira. Reformas estruturais são necessárias. Muitos são os desafios na busca do melhor equilíbrio entre os diversos interesses dos vários setores da sociedade.

O país está ansioso por boas notícias. Sempre acreditamos no potencial do país. Não é hora de desacreditar.

< Voltar para Palavra de Executivos