ODS 15 – Vida Terrestre

31 de agosto de 2017

O objetivo do ODS 15 é proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade. Como os demais, o ODS 15 possui metas que buscam orientar as etapas e passos de como alcançá-lo até 2030:

15.1 Até 2020, assegurar a conservação, recuperação e uso sustentável de ecossistemas terrestres e de água doce interiores e seus serviços, em especial florestas, zonas úmidas, montanhas e terras áridas, em conformidade com as obrigações decorrentes dos acordos internacionais

15.2 Até 2020, promover a implementação da gestão sustentável de todos os tipos de florestas, deter o desmatamento, restaurar florestas degradadas e aumentar substancialmente o florestamento e o reflorestamento globalmente

15.3 Até 2030, combater a desertificação, restaurar a terra e o solo degradado, incluindo terrenos afetados pela desertificação, secas e inundações, e lutar para alcançar um mundo neutro em termos de degradação do solo

15.4 Até 2030, assegurar a conservação dos ecossistemas de montanha, incluindo a sua biodiversidade, para melhorar a sua capacidade de proporcionar benefícios que são essenciais para o desenvolvimento sustentável

15.5 Tomar medidas urgentes e significativas para reduzir a degradação de habitat naturais, deter a perda de biodiversidade e, até 2020, proteger e evitar a extinção de espécies ameaçadas

15.6 Garantir uma repartição justa e equitativa dos benefícios derivados da utilização dos recursos genéticos e promover o acesso adequado aos recursos genéticos

15.7 Tomar medidas urgentes para acabar com a caça ilegal e o tráfico de espécies da flora e fauna protegidas e abordar tanto a demanda quanto a oferta de produtos ilegais da vida selvagem

15.8 Até 2020, implementar medidas para evitar a introdução e reduzir significativamente o impacto de espécies exóticas invasoras em ecossistemas terrestres e aquáticos, e controlar ou erradicar as espécies prioritárias

15.9 Até 2020, integrar os valores dos ecossistemas e da biodiversidade ao planejamento nacional e local, nos processos de desenvolvimento, nas estratégias de redução da pobreza e nos sistemas de contas

15.a Mobilizar e aumentar significativamente, a partir de todas as fontes, os recursos financeiros para a conservação e o uso sustentável da biodiversidade e dos ecossistemas

15.b Mobilizar recursos significativos de todas as fontes e em todos os níveis para financiar o manejo florestal sustentável e proporcionar incentivos adequados aos países em desenvolvimento para promover o manejo florestal sustentável, inclusive para a conservação e o reflorestamento

15.c Reforçar o apoio global para os esforços de combate à caça ilegal e ao tráfico de espécies protegidas, inclusive por meio do aumento da capacidade das comunidades locais para buscar oportunidades de subsistência sustentável

A sociedade global, nestes primeiros anos do século XXI, está assistindo, aprendendo e construindo a maior articulação já realizada entre os países para o gerenciamento do impacto social e ambiental intensificados pela sociedade industrial criada nos últimos séculos da história da humanidade.

Alcançar as metas do ODS 15 se insere neste desafio. Os ecossistemas terrestres são fundamentais para a vida das pessoas e a conservação das espécies do planeta. Soma-se a isso a importância do serviço de armazenamento e captação de carbono oferecidos pelas florestas preservadas ou restauradas.

É de fundamental importância para a garantia da vida em nosso planeta conhecer mais sobre estes serviços ecossistêmicos, seu atual estado de degradação e riscos envolvidos para a vida terrestre. Sob a ótica das metas do ODS 15 é possível planejar a participação efetiva de todos os atores da sociedade e a melhor forma de contribuição de cada um para minimizar os impactos negativos nos ecossistemas terrestres na busca da restauração e preservação colaborando assim com seu aperfeiçoamento e proteção.

Para atingir este estágio de participação é de fundamental importância avaliar as oportunidades e potencial de contribuição positiva que cada empresa, instituição e cidadão pode gerar. As metas para alcançar o ODS 15 são amplos e desafiadoras, mas é possível começar de onde a empresa ou cidadão está, com o que se faz no dia a dia, seja na comunidade ou no segmento onde a empresa atua, para concretizar as metas até 2030. Pensar globalmente e agir localmente é um bom início para proteger a Terra como um todo.

Alcançar os resultados e metas do ODS 15 é um serviço para todos: dos governos, das empresas, da sociedade civil organizada e de cada cidadão. Esta colaboração poderá ser mapeada e integrada na vida diária e nas decisões do dia a dia, por exemplo no caso das empresas a partir da integração no core business de metas compatíveis com a preservação da vida terrestre a partir do mapeamento dos impactos causados pela ação empresarial, e quando houver impactos negativos, optar pela decisão de reduzi-los planejando a gestão sustentável dos negócios.

A empresa pode mapear seus impactos nos serviços ecossistêmicos, e optar pela gestão de redução destes impactos, pode ainda colaborar e influenciar a restauração de áreas e habitats e contribuir com esforços relacionados a reflorestamento e anti-caça predatória. Conhecer e gerenciar a rastreabilidade de cadeia produtiva também colabora fortemente com o a adequação da gestão ao do ODS 15 e alcance de suas metas.

Na esfera individual a prática do consumo consciente é importante aliado para o alcance das metas para preservação da vida terrestre e do ODS 15. Conhecer o ciclo de vida dos produtos e serviços e fazer opções sustentáveis reduz a pegada ecológica do consumo e contribui para a preservação e restauração da vida terrestre.

Vanessa Weber Leite, mestranda em Governança e Sustentabilidade no ISAE, especialização Latu Sensu MBA em Gestão  e Empreendedorismo Social na FIA/FEA-USP e graduação em Serviço Social pela FAPSS de São Caetano do Sul – SP. Possui experiência na área de administração empresarial, com ênfase em gestão social corporativa, leciona na Graduação Tecnológica em Processos Gerenciais.