O caso da Sofhar e o Software P3G

20 de novembro de 2017

O software da sustentabilidade

“A tecnologia é uma espécie de caminho a chegar no resultado, e aquele que consegue um caminho mais eficiente chega antes a uma inovação.” Dr. Ozires Silva

Introdução

O projeto vencedor da sexta edição do Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável foi o de um software que permite a criação de indicadores e o gerenciamento de resultados sustentáveis para sistemas de produção e gestão de empresas. O projeto, que será analisado neste capítulo, foi apresentado por uma empresa paranaense de tecnologia da informação. Esse exemplo permitirá a apresentação de uma análise mais abrangente da influência positiva da tecnologia – e por que não da inovação – sobre as práticas e os resultados sustentáveis para indivíduos, organizações ou países. Sendo assim, apresentaremos primeiramente os conceitos de tecnologia e sustentabilidade, as possíveis relações entre eles e, em seguida, a análise do caso do P3G, software da Sofhar ganhadora do Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável.

Quando a tecnologia empreende o bem
Antes de apresentar o caso do software P3G, da empresa Sofhar, é preciso provocar uma reflexão sobre a relação entre a aplicação de tecnologias e os resultados econômicos, sociais e ambientais alcançados por países, organizações e indivíduos em busca do desenvolvimento sustentável.

De um lado dessa relação, está a tecnologia, que, neste texto, deve ser entendida como o conhecimento novo produzido por pessoas e acumulado para ser aplicado e viabilizar soluções para situações da sua vida ou trabalho. Essa é uma definição abrangente e uma das mais aceitas entre os pesquisadores, pois envolve o esforço de transformação de informações em um processo criativo para a geração de novos conceitos, modelos, técnicas, instrumentos e artefatos diferentes, inovadores. A tecnologia, vista dessa forma, pode ser percebida em diferentes contextos geográficos, econômicos e sociais, independentemente da intensidade tecnológica, isto é, da utilização de materiais, ferramentas ou equipamentos de última geração.

A tecnologia é percebida como um elemento diretamente ligado às atividades desempenhadas pelas pessoas, especialmente no seu trabalho. Em função disso, a produção e utilização de soluções tecnológicas serve para que as pessoas possam realizar as atividades de forma mais eficaz e eficiente. O trabalho realizado com o apoio de soluções tecnológicas tende a ser mais simples, de fácil aprendizado e replicação; mais rápido e econômico, evitando desperdício de recursos; mais saudável, evitando desgaste desnecessário das pessoas e do meio ambiente; e mais assertivo, proporcionando melhores resultados. Exemplos simples e curiosos de tecnologias que atendem a esse conceito e revolucionaram a relação do ser humano com seu trabalho são:
a) O relógio de sol, água ou areia, inventado por volta dos anos 600 a.C. na Judeia ou o mecânico, no século XIII na Europa. Proporcionou controle do tempo despendido para a realização das atividades, permitindo que o trabalhador pudesse fazer escolhas sobre o que realizar no tempo disponível.
b) O arado de galhos nos anos 4500 a.C. na Mesopotâmia ou de ferro no século XVII na Europa ocidental, que permitiu a exploração mais correta do solo para o plantio de alimentos.

No caso analisado adiante, será apresentada uma solução computacional de tecnologia da informação que serve para apoiar os administradores a tomar decisões e gerir as atividades organizacionais. Nesse contexto, a tecnologia coleta um conjunto maior de informações, analisa com maior acurácia e velocidade, além de apresentar os resultados conforme a necessidade do gestor. Apoiados por essa solução de tecnologia da informação, os gestores podem compreender o quanto a sua organização está adequada às regras de sustentabilidade definidas pelo governo e pelo mercado, isto é, o quanto apresenta resultados sustentáveis.

Estes são chamados assim quando a atuação socialmente responsável e ambientalmente correta de indivíduos, organizações e instituições proporciona a equidade e o bem-estar social e/ou a redução do impacto e das externalidades ambientais negativas, além de proporcionar o desenvolvimento econômico sustentável. Isso significa dizer que o trabalho realizado para atender às necessidades presentes não pode comprometer a possibilidade de as gerações futuras buscarem atender às suas. Por isso, entendemos que o desenvolvimento sustentável é um esforço sistêmico perseguido somente quando os diferentes participantes estão comprometidos com a atuação e os resultados sustentá- veis. Dessa forma, governo e mercado precisam atuar de maneira convergente, ao longo do tempo e de toda a cadeia produtiva, incluindo as demais instituições intervenientes (órgãos de classe e representação, organizações de ensino e pesquisa ou organismos nacionais e internacionais de opinião e controle), na busca incessante do equilíbrio entre as dimensões dos resultados sustentáveis.

Continue lendo artigo O caso da Sofhar e o Software P3G

 

 

< Voltar