O Vitorioso

5 de novembro de 2018

Forjado nas Agulhas Negras, Bolsonaro será previsível comandando a nação.
Patriota, disciplinado, respeitador da hierarquia, seguidor do Regimento Interno- leia-se Constituição- e com valores e princípios arraigados de honestidade, ética, moralidade, proteção à família e à propriedade e defesa da justiça.

Sei disso porque estudei em colégio militar por 7 anos e convivi com o rigor dos quarteis.
Aí me perguntam: como pode ser o governo de um militar eleito democraticamente?
Resposta: depende. Ele não vai mudar, assim, tem que mudar o resto, o que não é impossível.

Agora só tem um chefe e isso pode significar centralização, o que é desaconselhável diante da complexidade das matérias e das circunstâncias.
Assim, o segredo é montar um time de ministros notáveis, respeitados em suas áreas, mas que aceitem seu comando, mesmo em temas que ele não entende.

O segundo “depende” é na relação com o Congresso. Na legislação que está acabando seria impossível o relacionamento, diante do pacto do “toma lá dá cá”. Mas com uma renovação que se elegeu sem mídia, máquina ou fundo partidário, é possível que os congressistas entendam que agradar o patrão e o cidadão é o caminho para a reeleição.
E aí dependerá do nível dos líderes na Câmara e no Senado. Mais pra diplomata do que para trombador é a receita.

Por fim, na economia, menos Brasília e mais Brasil está perfeito. Entre corporação e Nação, a opção deve ser diferente do que foi nas últimas décadas.

Por Renato Follador,
Consultor em Previdência e Finanças

< Voltar